Blog Boviplan

No período seco do ano, devido à redução natural na oferta de forragem via pastagem, aumenta o fornecimento de alimentos suplementares via cocho para os bovinos. Mas, a falta de alimentos neste período não se restringe apenas aos bovinos, as abelhas também sofrem com a redução de opções alimentares e acabam por se aproveitar do acesso livre aos alimentos disponibilizados nos cochos para os bovinos.

Esta invasão de abelhas nos cochos ocorre, principalmente, quando a base do alimento ofertado é a cana-de-açúcar, mas também não é incomum quando há concentrados ricos em milho moído. Este tipo de situação gera certa dificuldade pra os produtores para repelir o acontecimento da infestação, pois a opção mais fácil, que é a eliminação das abelhas, não é uma opção sustentável interessante para o ecossistema.

Dentre as alternativas adequadas estão:

– Uso de repelentes naturais próximos aos cochos, tal como produtos à base de citronela, porém sua eficácia é de curta duração, pode variar de 5 a 15 minutos. Em dias úmidos pode ser mais eficaz, uma vez que a evaporação se torna mais lenta;

– Horário de fornecimento do alimento. As abelhas costumam buscar por alimento em horas específicas do dia. O fornecimento do alimento ao final da tarde pode auxiliar na menor procura por parte das abelhas, causando menos transtornos pra o tratador e para os bovinos;

– Uso de cal hidratada. Estudos comprovam o efeito repelente de cal hidratada, quando micropulverizada sobre o alimento, o que também pode auxiliar na maior digestibilidade de volumosos mais fibrosos pelos ruminantes;

– Uso de preparado energético longe dos cochos. Apicultores utilizam de suplementos energéticos e proteicos que permitem a subsistência ou suplementação de seus enxames. Sendo assim, o pecuarista pode adotar uma alternativa fornecendo o preparado para que as abelhas consigam se nutrir sem precisar ir até o cocho.

A receita do preparado é relativamente simples. Uma parte de açúcar e uma parte de água formando uma pasta energética. O uso de um limão Taiti pode auxiliar na digestibilidade do alimento pelas abelhas. A receita pode ser feita com xarope de mel, mel e açúcar ou açúcar de confeiteiro e mel. Também podem ser utilizados glicose de milho ou garapa de cana-de-açúcar.

No entanto, deve-se tomar cuidado com a fermentação do preparado, principalmente com o uso de garapa de cana, pois o alimento fermentado pode causar morte de larvas no ninho.

Texto produzido por Victória Girnos – Analista de Conteúdo
Boviplan Consultoria Agropecuária